HOME  

AS VOLTAS DA BOLA  

PONTAPÉ NA ATMOSFERA  

PASSA A BOLA  

BOLA EM JOGO  

MERCADO DE TRANSFERÊNCIAS  

segunda-feira, 31 de agosto de 2009
Uma goleada das antigas
Notas Mestres do Futebol:

Melhor em campo: Cardozo - Fez um hat trick.

Jorge Jesus: nota 5 - Hoje toda a gente viu um Benfica ao seu mais alto nível. Quase sem erros. Jorge Jesus não errou em nada.

Carlos Azenha: nota 1 - Tem demérito como montou esta equipa desde o indico da época. Hoje erra no esquema táctico que levou à Luz e a derrota é inteiramente dele. Na primeira prova de fogo, vê-se um Setúbal muito fraco. Chegamos a ver em campo jogadores que transitaram da 2ªdivisão B para a Liga Sagres.

Árbitro: Duarte Gomes: nota 4+ - Uma boa arbitragem de um dos melhores árbitros nacionais.

Este é daqueles jogos em que o resultado fala por si. Os oito golos do Benfica espelham uma superioridade real dentro de campo, já que o V. Setúbal nem sequer chegou a entrar verdadeiramente em acção. O Benfica deu início a uma avalanche de golos aos 16 minutos, por intermédio de Javi García, e só parou aos 85', com Nuno Gomes. Pelo meio houve Luisão (21'), Cardozo - por três vezes - (29' g.p., 65' e 75') e Ramires (37').

Para a história fica um jogo de sentido único, com uma goleada à antiga e uma motivação adicional para a equipa de Jorge Jesus. O V. Setúbal ainda reduziu por Hélder Barbosa, já nos descontos, mas sai da Luz cabisbaixo, com o treinador Carlos Azenha a ter muita coisa para trabalhar com os seus jogadores.

Destaques individuais:

Lourenço - Um esquerdino que pautou o jogo todo do Vitoria de Setúbal. Jogador a seguir...

Zarabi - Foi dos piores jogadores em campo. Muito nervosismo a gerar erros...

Kazmierczak - Muito longe do jogador que apareceu em Portugal e que o levou ao Porto, mas ainda assim foi dos melhores do lado de Setúbal.

Hélder Barbosa - Um jogador como Hélder Barbosa merecia melhor. O melhor do Setúbal.

Luís Carlos - Um extremo irrequieto que pode vir a ser uma boa surpresa.

Ruben Amorim - Porque não continuar a ser lateral direito? Vai dar dores de cabeça a Maxi Pereira.

Javi Garcia - Uma autentica parede que destrói jogo e constrói muito jogo.

Di María - Um mágico. Começa a ser difícil prender tanta magia na Luz. Hoje foi um quebra cabeças para o parar.

Aimar - Um Aimar dos melhores tempos a fazer esquecer a desilusão da época passada. Assim o Benfica ganha um grande nº 10. Pede-se a Aimar maiores índices físicos.

Saviola - Demonstrou neste jogo pormenores técnicos dignos de craque.

Cardozo - Neste jogo ficou patente que a luta pela bota de melhor marcador da liga está acesa e é entre Falcão e o Paraguaio, Cardozo.

Etiquetas: , ,

Diogo Sousa & Mestres do Futebol 2009. Proibida a reprodução.
# 22:11 | # este post | # Comentários de mestre (0)
Sporting regressa às vitórias...

Etiquetas: , ,

Pedro Magalhães & Mestres do Futebol 2009. Proibida a reprodução.
# 20:06 | # este post | # Comentários de mestre (0)
sexta-feira, 28 de agosto de 2009
As voltas da bola: Explorando a Europa


O destaque positivo, primeiro. Poucos o esperariam mas a verdade é que aconteceu mesmo: o Nacional eliminou o Zenit São Petersburgo e garantiu um lugar na fase de grupos da Liga Europa. É absolutamente notável, a todos os níveis. Não só pelos maiores argumentos dos russos em termos desportivos mas, e sobretudo, no que toca às finanças do clube. Manuel Machado e os jogadores bem o merecem. A tarefa está cumprida, tudo o que vier por acréscimo será óptimo. Werder Bremen, Athletic Bilbao e Áustria de Viena são os novos adversários. Complicados.

O destaque negativo, depois. O Sporting não conseguiu, em Florença, capital do Renascimento, ultrapassar a Fiorentina para chegar à fase de grupos da Liga dos Campeões. Com uma boa exibição (personalizada, concentrada e sem complicar) na primeira parte que viria a ser recompensada com um excelente golo de João Moutinho, os leões ainda alimentaram o sonho mas, nos primeiros dez minutos da segunda etapa, o montenegrino Jovetic marcou o tento precioso para deixar o "barco" de Paulo Bento num naufrágio. Não que a Fiorentina tenha sido superior em nenhum dos jogos. E é precisamente por isso que a queda na Liga Europa deixa um amargo ainda maior...

Voltemos, então, ao sorteio da ex-Taça UEFA. O Nacional, como já foi escrito acima, terá adversários complicadíssimos mas está longe de possuir qualquer pressão para a passagem - seja como for, será interessante ver como correrão os jogos na Choupana. O Sporting encontrará o Heerenveen, Hertha de Berlim e Ventspils. Nenhum deles é um colosso europeu, é verdade, mas poderão causar algumas dificuldades à equipa de Paulo Bento. Sobretudo, na minha opinião, os alemães do Hertha (empataram, na época passada, com o Benfica de Quique).

Ora, o Benfica após ter eliminado a frágil equipa ucraniana do Vorskla Poltava, num score de 5-2, jogará com os ingleses do Everton (o rival mais forte), os gregos do AEK Atenas e o BATE Borisov, tricampeão bielorrusso nas últimas quatro épocas. Parece-me que se trata, à semelhança do Sporting, da equipa com maiores probabilidades de sucesso no seu grupo mas também não terá tarefa facilitada. Os adeptos helénicos são bem conhecidos pelos ambientes infernais que criam nos seus estádios; o BATE deverá ser a equipa mais acessível, no entanto esteve, no ano transacto, na Liga dos Campeões e possui essa rodagem.

Invertendo a ordem natural dos acontecimentos, falemos da sorte do FC Porto, única equipa portuguesa na maior prova da UEFA. Má sorte, dirão alguns: Chelsea, Atlético de Madrid e APOEL Nicósia serão os adversários. Os ingleses, agora treinados por Carlo Ancelotti - e onde jogam os portugueses Deco, Ricardo Carvalho, Paulo Ferreira, Hilário e Bosingwa -, procuram o título europeu que lhes foge desde sempre e têm estado imparáveis na Premier League; os colchoneros, de Simão Sabrosa, foram o opositor que os portistas deixaram pelo caminho nos oitavos-de-final da temporada anterior e serão uma espécie de (forte) outsider; o APOEL, equipa de Paulo Jorge, Hugo Morais e Hélio Pinto, não se intrometerá na luta pela passagem à fase seguinte mas poderá causar complicações nos jogos disputados no Chipre.

Etiquetas:

Ricardo Costa & Mestres do Futebol 2009. Proibida a reprodução.
# 21:57 | # este post | # Comentários de mestre (6)
quarta-feira, 26 de agosto de 2009
Sporting fora da "Liga dos Milhões"
Notas Mestres do Futebol:

Melhor em campo: Stevan Jovetic - O Montenegrino de 19 anos (!) encheu o olho desde que entrou. Marcou um golo, distribuiu jogo e desequilibrou. Nota que já em Alvalade tinha enchido o olho.

Melhor do Sporting: Miguel Veloso - Incansável durante os 90 minutos. Moutinho este também muito bem mas Veloso foi mais regular em todo o encontro. Com uma percentagem de passes errados bastante baixa.

Paulo Bento: nota 3menos - Montou uma boa equipa, que soube reagir e entrar bem em campo. Erra brutalmente quando substitui Matias Fernandez. A partir desse momento a equipa "partiu-se" em duas.

Cesare Prandelli (treinador da Fiorentina): nota 3 - Pedia-se mais Fiorentina para este jogo. Ainda assim foi sempre um colectivo coeso e soube montar as substituições.

Árbitro Howard Webb: nota 4 - Arbitragem com poucos erros.

Outros Destaques Mestres do Futebol:

André Marques: Dali não pode sair muito. Um produto da Academia que pouco pode render. Defende mal (devido á pouca experiência), ataca mal. É um jogador pouco veloz, quando para o estilo de jogo de Paulo Bento se pede o contrario.

Daniel Carriço: Um senhor central. Vejo em Daniel Carriço o futuro patrão da defesa do Sporting para os próximos anos. Hoje fez um jogo muito bom!

João Moutinho: Entre Moutinho e Veloso esteve o pilar do Sporting. Moutinho fez um golo, correu muito para ocupar espaços. Quando Matias Fernandez saiu a tarefa de Moutinho complicou-se e o jogador foi abaixo, em termos físicos.

Matias Fernandez: É um jogador essencial para este Sporting. Demonstra detalhes técnicos dignos de craque. Falta-lhe alguma consistência física.

Liedson: No dia em que foi chamado pela primeira vez á selecção das quina o "Levezinho" pouco fez frente á Fiorentina. Pedia-se mais Liedson esta noite.

Juan Manuel Vargas: Do lado da Fiorentina foi dos mais regulares. Jogando a medio ou defesa o esquerdino não falha.

Riccardo Montolivo : É uma espécie de Moutinho da Fiorentina. É ele quem gere os ritmos da equipa e começa a ser doloroso ver um jogador de tamanha qualidade na Fiorentina.

0-1 Moutinho 35'


1-1 Jovetic 54'

Etiquetas: , ,

Diogo Sousa & Mestres do Futebol 2009. Proibida a reprodução.
# 23:32 | # este post | # Comentários de mestre (1)
terça-feira, 25 de agosto de 2009
Frente de Ataque
O acto de tirar a camisola de Vukcevic que levou à sua expulsão foi grave. Não dá para entender porque fez aquilo. O jogador bem sabe, ou pelo menos devia saber, que aquele comportamento dá direito a cartão amarelo. Como o Vukcevic já tinha amarelo isso daria a sua expulsão do jogo. Um acto muito estúpido e que acabou por prejudicar a sua equipa. O árbitro, neste caso, nada mais fez do que aplicar a regra.

Quanto à regra acho que não faz qualquer tipo de sentido. Se o jogador ao marcar um golo tirar a camisola qual é o mal? Mas regras são regras e têm de ser cumpridas. Os jogadores como integrantes do jogo devem saber quais são as regras.
Passando agora pela prestação das equipas portuguesas nas competições europeias. O Sporting melhorou o seu jogou em relação aquilo que tinha feito contra Twente e Nacional. Poderia ter saído com um resultado bem melhor. Apesar de tudo ainda tem hipóteses de se qualificar. A Fiorentina é uma equipa que está ao alcance deste Sporting, no entanto este não fez melhor porque a equipa está longe daquilo que pode fazer. Matias Fernandez apesar de ter qualidade ainda está numa fase de adaptação e Liedson tem estado muito mal.

No jogo da 2ª mão o Sporting vai enfrentar a Fiorentina, num jogo fora, sabendo que tem de fazer algo que ainda não fez esta temporada. Tem de vencer ou de conseguir um empate superior a 2 golos para passar a eliminatória. O empate na 1ª mão poderia ter sido evitado. É certo que o Sporting tem razões de queixa da arbitragem, mas não empatou o jogo devido a isso. Os começos de encontro do Sporting têm sido catastróficos demais e a defesa tem acumulado erros que se têm revelado comprometedores.

O Nacional fez um grande jogo frente ao Zenit. Um bom resultado que coloca a equipa na discussão da eliminatória. Com certeza este resultado foi uma grande surpresa. O jogo da 2ª mão não vai ser fácil, no entanto ainda existe alguma margem de manobra para o Nacional. Depois do jogo que fizeram na 1ª mão existem razões suficientes para acreditar que uma passagem à fase seguinte é possível.

O Benfica como se esperava venceu o jogo frente ao Poltava. Não há muito a dizer sobre o jogo. Uma vitória confortável e uma eliminatória quase passada. Sendo assim o Benfica parte para a 2ª da eliminatória na frente, com uma vantagem confortável, e Jorge Jesus pode aproveitar este jogo para fazer uma gestão do plantel.

A 2ª jornada da liga portuguesa está concluída. O Sporting confirma o mau momento, para além disso a defesa mais uma vez mostrou que está uma autêntica desgraça. Os 2 golos do Sporting de Braga são erros clamorosos da defesa do Sporting. É incrível como se deixa tanto espaço para Alan rematar à vontade, sendo também incrível como Rui Patrício saí no lance do 2º golo. Paulo Bento encontra-se neste momento sobre brasas.

O Benfica safou-se de boa. Pelos vistos o deslumbre da pré-época acabou. Há que meter os pés bem assentes na terra não vá a queda ser grande. O jogo contra o Vitória de Guimarães deixou muito a deixar para aquilo que se esperava deste Benfica. Não conseguiu ser demolidor como na 2ª parte frente ao Marítimo. Aliás fez um jogo bem fraco comparado com os que fez contra o Marítimo e contra o Poltava. Apesar deste jogo ter sido fraco o importante foi alcançado que era a vitória. Destaque para Fábio Coentrão que tem estado em bom plano neste início de temporada.

O Porto também passou por alguns maus bocados contudo foi o que se mostrou em melhores condições dos 3 grandes. O Nacional bem tentou discutir o jogo. No entanto o 1º golo foi fatal para o Nacional. A partir daí os jogadores do Nacional perderam a cabeça. O Porto a jogar contra 9 passou a dominar o encontro e chegou com facilidade aos 3-0. Vitória justa contra um adversário que se tem mostrado em boa forma.

O post que o Hélder fez é interessante e merece ser discutido. Eu não gosto de ver o nosso campeonato cheio de estrangeiros. Acho que nesse aspecto não há discussão. Todos aqueles que gostam de futebol devem querer ver jogadores do seu país a actuar nos clubes das respectivas ligas.

Chega a haver jogos em que no 11 inicial se tem mais estrangeiros do que portugueses. Mas será que esse caminho não se tornou inevitável? Quantas equipas a nível internacional não têm situações semelhantes a esta? É só as nossas equipas? Deve-se entender que as equipas só têm um objectivo que é arranjarem os melhores jogadores a fim de obterem os melhores resultados possíveis. Para chegarem a esse fim, pelos vistos, não olham às nacionalidades. Se não existe nenhuma regra que limite o número de estrangeiros nos clubes então toca a comprar tudo o que houver independentemente da nacionalidade dos jogadores. Este tipo de atitude desprestigia tanto o campeonato como os clubes.

Sejamos também realistas. Se estivermos a falar a nível dos 3 grandes quantos jogadores portugueses têm qualidade para estarem neles? Se calhar há poucos. Daí que se prefira recorrer a jogadores de outros países mais baratos, e com qualidade muitas das vezes duvidosa do que olhar para o que se encontra no campeonato português. Isto acaba por se aplicar aos clubes do nosso campeonatos. Quantos clubes que nas aberturas de campeonato vão buscar contentores de jogadores estrangeiros?
Tenho também ideia de que em Portugal não há problema em dar uma quantidade de milhões por jogadores que não jogam e/ou com qualidade duvidosa do que gastar uns milhares com um jogador português.

O Sporting é um caso diferente. A única coisa que penso que impede o Sporting de ter mais estrangeiros no clube é uma questão financeira. Com falta de dinheiro a alternativa que o Sporting tem usado é de ir buscar à formação. O futebol é um negócio. E como negócio que é precisa de gerar dinheiro. E se isso significar jogadores estrangeiros não se hesita.

A formação poderia ser um caminho. Contudo acho que somente o Sporting anda interessado em apostar realmente nela (e com jogadores portugueses). Se formos a ver os 11 iniciais dos 3 grandes na 1ª jornada do campeonato vimos que tanto Benfica como Porto tiveram mais estrangeiros do que portugueses.

Trata-se também de uma questão de mentalidades. Se continuar-se a pensar que os jogadores portugueses não prestam, ou são caros demais para aquilo que jogam, não faltarão estrangeiros mais baratos ( por vezes com qualidade duvidosa) que irão querer vir.

Hulk andou envolto em polémica devido à sua expulsão no jogo frente ao Paços de Ferreira. Acho que nesse aspecto não há muito a dizer, a expulsão é mais que justificada, para além disso o jogador sabia que já tinha um amarelo, para quê cometer aquela falta desnecessária? Quanto a levar muita pancada dos adversários, é verdade, mas também o que Jesualdo Ferreira está à espera? Que estendam a passadeira ao Hulk? Cabe ao árbitro proteger os jogadores de entradas à margem da lei (todos os jogadores, e não como se costuma dizer os jogadores mais talentosos), se uma entrada justifica um cartão, independentemente da cor e do tempo que o jogo já tenha, deve ser mostrado sem qualquer excepção. Se tal não acontece pode cair-se no erro das compensações que depois leva a uma dualidade que critérios que não deveria existir.

Etiquetas:

Ruben & Mestres do Futebol 2009. Proibida a reprodução.
# 18:26 | # este post | # Comentários de mestre (2)
Ramires Marca ao Cair do Pano
V. GUIMARÃES (0) - BENFICA (1)




Notas Mestres do Futebol:

Melhor em campo: David Luiz - Ajudou a construir jogadas, defendeu e cortou bolas, salvou a equipa de golos... Este David Luiz mesmo com tantos minutos nas pernas não deixou de fazer um jogo ao seu nível...

Melhor do Benfica: David Luiz (nota 4) - Já se viu que é uma das grandes promessas do Benfica e por salvou o Benfica do golo em várias ocasiões. Uma exibição positiva num jogo fraco por parte do Benfica.

Melhor do Guimarães: Tiago Targino (nota 4) - Atacou diversas vezes a baliza dos encarnados apesar de infeliz na concretização...Uma ao poste e outra com grande corte de David Luiz, mas que não cortou uma boa exibição...

Jorge Jesus: (nota 3) - Penalizou pelo facto de a equipa estar em sub-rendimento, tomou boas decisões a nível de substituições, porém devia de ter levado a equipa a fazer mais.

Nelo Vingada: (nota 3) - Levou a equipa a atacar e conseguiu levá-la a defender alguns dos muitos lances do Benfica, ele que disse que sabia como travar o benfica, e por pouco...

Pedro Proença: (nota 4) - Intreviu bem durante a partida em vários lances duvidosos...Nota positiva para o árbrito.

O Benfica e o Guimarães começaram bem, um jogo intenso e bem disputado até por volta dos 20 minutos, onde o Guimarães tomou conta do jogo e o Benfica baixou o seu rendimento. Repara-se, em parte, o desgaste que os jogadores do Benfica evidenciaram a partir desta altura e que levou a falhar inúmeros passes em parte culpa do Vitória que aproveitou bem a situação. O jogo estava empatado a zeros ao intervalo.

Na Segunda parte, o Vitória voltou a controlar o jogo e fez duas ou três ocasiões de golo que merecem destaque, por parte de Tiago Targino saiu uma ao poste e outra que simplesmente fez brilhar o David Luiz ao cortá-la da baliza. Destaque para o segundo pénalti falhado na liga aos 62 minutos por Cardozo após Flávio Meireles bater com a bola na mão na grande área. Após várias tentativas falhadas foi numa falta um pouco duvidosa que Fabio Coentrão ofereceu o golo a Ramires que salvou o Benfica ao cair do pano. Resulatado Final (0-1).
Hélder & Mestres do Futebol 2009. Proibida a reprodução.
# 09:01 | # este post | # Comentários de mestre (1)
Leão Abatido
Sporting (1) - Sporting Braga (2)



Notas Mestres do Futebol:

Melhor em campo: Alan - Simplesmente o melhor , deu a vitória ao Braga, com um golo e uma assistência para o segundo...

Melhor do Sporting: Djaló (nota 3)- Ainda tentou animar a equipa leonina com um grande golo, merece nota positiva.

Melhor do Braga: Alan (nota 4)- Abriu o marcador e fez o leão entrar em depressão, ofereceu o segundo golo a Meyong dando a vitória ao Braga.

Paulo Bento: (nota 2)- Terá de tomar uma atitude perante estes resultados, resultados negros por parte do Sporting, impotente perante a equipa minhota, terá de ter uma enorme força para superar esta crise...

Domingos Paciência: (nota 4.5)- Um Braga forte tacitamente, este treinador prometeu levar o Braga a cimentar o seu lugar como quarto grande...será?

Olegário Benquenrença: (nota 2) - Com um pénalti por assinalar o árbitro saiu mal do jogo...

O Sporting começa bem, com ambição de ganhar o jogo perante o Braga e de oferecer a vitória aos adeptos, atacou bem e ficou com um pénalti por assinalar com Móisés a defender com as mãos. Aos 12 minutos, Alan faz o golo e o Sporting adoece. Ainda assim com mais oportunidades que o Braga mas vai para o intrevalo a perder.

Na segunda parte viu-se um Braga mais forte tacticamente, a equipa minhota com as jogadas estudadas lá controlavam o jogo. Porém foi de Djaló que reacendeu as esperanças ao Sporting com um forte remate à Baliza. Porém foram-se abaixo com um golo convertido por Meyong após assistência por Alan.

O Leão perdeu em casa, mais uma vez a equipa de Paulo Bento não foram capazes de superar o adversário e a evidenciarem mais uma vez a profunda depressão que atravessam neste momento. Os adeptos desagradados assobiam...veremos o que acontece...
Hélder & Mestres do Futebol 2009. Proibida a reprodução.
# 08:30 | # este post | # Comentários de mestre (0)
domingo, 23 de agosto de 2009
Porto Vence e Nacional acaba com 9 em campo
Equipas Oficiais:

NACIONAL: Bracalli; Felipe Lopes, Tomasevic (34') e Clebão; Patacas, Leandro Salino, Luís Alberto, Ruben Micael (60') e Cléber; João Aurélio e Amuneke.
Suplentes: Douglas, Halliche, Wellington (34'), Pecnik (60'), Abdou, Rodrigo Silva e Nuno Pinto.

F.C. PORTO: Helton; Fucile, Rolando, Bruno Alves e Alvaro Pereira; Belluschi, Fernando (78') e Raul Meireles (75'); Mariano González, Falcao e Varela (67').
Suplentes: Beto, Guarin, Valeri (75'), Rodríguez (67'), Maicon, Farías (78') e Sapunaru

Num jogo que o Nacional acaba com 9 em campo devido à expulsão de Clebão e Cléber Oliveira (ambos aos 65'), o Porto acaba por vencer o jogo por 3-0: o 1-0 numa penalidade convertida por Falcão (67'), o segundo golo por Rolando, num canto, onde desvia o cabeceamento de Falcão (73') e o terceiro por Rodríguez (86'), que faz a sua estreia na liga 2009/2010.

Fiquem agora com as notas e os comentários Mestres do Futebol.

Notas Mestres do Futebol:

Melhor em campo: Falcão (F.C. Porto) - Este é o digno substituto de Lisandro. Lutador, persistente e empenhado, Falcão esteve em 2 dos 3 golos do jogo, marcando o primeiro e cabeceando para o desvio de Rolando no segundo. Esteve noutras jogadas de perigo e viu o seu remate embater na barra logo aos 7' minutos. Há aspectos a melhorar, mas está num bom caminho. Nota 4.5

Melhor do Nacional: Leandro Salino - É a referência base da equipa. Foi o melhor da equipa, sempre inconformado, tentou acalmar os ânimos ao minuto 65', onde foram expulsos 2 companheiros de equipa. Nota 3

Jesualdo Ferreira: Soube gerir a equipa, ajustou perfeitamente o estilo de jogo da equipa ao adversário que defrontava. Tirou Varela e os adeptos não gostaram, mas a aposta quer de Falcão, quer de Rodríguez é justificada. Nota 4

Manuel Machado: Sente-se injustiçado porém sem razão, pelo menos, quanto ao penalti, que é claro. Tirou bem Tomasevic ainda antes do intervalo e viu a sua equipa reduzida a 9 jogadores ao minuto 65'. Pouco podia fazer... Nota 3.5

Rui Ferreira: Um jogo que, aparentemente, seria calmo, viu, ao minuto 65', a expulsão de 2 jogadores do Nacional, depois de um penalti assinalado no minuto anterior. Decidiu bem no penalti e na expulsão de Clebão, porém, não foi correcto ao expulsar Cléber Oliveira. Foi rigoroso e arbitrou com clareza, embora lhe tenha ficado mal, ser o assistente a assinalar a grande-penalidade, pois Rui Ferreira estava bem perto do lance. Nota 3

Outros Destaques Mestres do Futebol:

Alvaro Pereira - Mais discreto na primeira parte, muitíssimo melhor na segunda, cresceu claramente de nível e é aposta certa para o corredor esquerdo da defesa portista. Sem medo de atacar, fluente e atrevido, aterrorizou o flanco oposto do Nacional em conjunto com Varela. Obrigou, ainda, a uma boa defesa de Bracalli, através de um livre. Nota Positiva

Varela - Trabalhou muito bem, mostrou-se digno de prometer espectáculo e deu asas a pormenores interessantes. Deu velocidade ao jogo e conseguiu, juntamente com Alvaro Pereira, criar o caos na defesa do Nacional. Jesualdo retirou-o do jogo e os adeptos não gostaram e imagino que o jogador também não... Nota Positiva

Raul Meireles - Já teve dias melhores! Não que tenha sido um jogo perdido por parte do meio-campista do tetracampeão nacional, mas ficou aquém das expectativas, não estando propriamente bem no jogo. Não que a sua substituição por Valeri tenha favorecido o Porto, mas deu para perceber, talvez, que ainda precise de adquirir algum ritmo de jogo. De qualquer maneira, a sua habitual combinação com Fernando no sector mais recuado do meio-campo funcionou sem problemas. Nota Neutra

Cléber - Não estava nos seus dias. Certamente um dia para esquecer. Dá, claramente, mão na bola que o arbítro Rui Ferreira assinala, depois de uma indicação do auxiliar. Não que fosse de certa maneira intencional, mas alterou o rumo da bola e consequentemente o rumo do jogo, levando à sua expulsão e de Clebão, alterando por completo o jogo. Noite escura... Nota Negativa

Etiquetas: , ,

Miguel & Mestres do Futebol 2009. Proibida a reprodução.
# 21:51 | # este post | # Comentários de mestre (3)
sábado, 22 de agosto de 2009
As voltas da bola: Arranque au relanti


Começo com uma estatística bem peculiar: em onze jogos disputados até ao momento na Liga Sagres - a primeira jornada completa e mais três partidas da segunda -, nove empates, cinco a zeros. Apenas duas vitórias. Honra seja feita ao Sp.Braga pois foi o autor de tal proeza: conseguiu vencer os seus jogos. O primeiro, por 1-0, frente à Académica e, agora, derrotando o Sporting, em Alvalade, por 2-1. Tem a liderança isolada, merece um destaque por isso. O que se conclui? Há, em Portugal, uma crise profunda de golos, de espectáculo, enfim, de futebol.

A primeira jornada trouxe apenas essa tal vitória do Sp.Braga. De resto, todos empataram. Os grandes, como se fossem almas gémeas, a um golo, recuperando depois de estarem em desvantagem na partida. O Sporting empatou na Madeira, frente ao europeu Nacional, num jogo em que apenas conseguiu reagir e soltar-se da estratégia montada por Manuel Machado nos últimos vinte minutos; o FC Porto não foi além de um empate em Paços de Ferreira, uma partida marcada pela expulsão de Hulk - já deu pano para mangas mas o problema passa sempre pelos critérios - e que se os pacenses tivessem vencido ninguém poderia abrir a boca de espanto; por fim, o Benfica empatou frente ao Marítimo e, embora tido um domínio muito grande, pecou na finalização.

Hoje, sábado, os bracarenses venceram o Sporting. A equipa leonina mostrou muita falta de engrenagem, algo pouco compreensível para um núcleo que se manteve da temporada anterior. No entanto, logicamente que os leões não foram riscados da corrida pois ainda estamos no ínicio da prova. Uma prova de regularidade, sobretudo. Mas, acima de tudo, a exibição com o Sp.Braga mostrou que Paulo Bento tem ainda muito que trabalhar e que aperfeiçoar - não há chama nem querer nos leões. Amanhã, os rivais têm tarefas complicadas: o Benfica, em Guimarães; o FC Porto, em casa, frente ao Nacional.

Na ronda europeia, houve chapa quatro. De forma esperada: 4-0 do Benfica frente ao Vorskla Poltava, uma modesta equipa ucraniana, numa bela exibição colectiva; 4-3 no Nacional-Zenit, um resultado que deixa tudo em aberto mas traz um certo amargo de boca porque os madeirenses possuíram vantagem de dois golos por três vezes na partida, porém não deixa de ser surpreendentemente atendendo ao poderio dos russos. No playoff de acesso à Liga dos Campeões, o Sporting empatou com a Fiorentina, a dois, em casa. Em Florença, capital do Renascimento, a equipa de Paulo Bento tem obrigatoriamente de marcar para seguir em frente. Assim vai o futebol por cá...

Etiquetas:

Ricardo Costa & Mestres do Futebol 2009. Proibida a reprodução.
# 23:42 | # este post | # Comentários de mestre (0)
terça-feira, 18 de agosto de 2009
Frente de Ataque
A Liga Portuguesa já começou. Os principais candidatos ao título são os 3 grandes. O Porto na minha opinião parte como favorito. Perdeu 2 jogadores importantes (Lucho e Lisandro). Apesar disso tem de ser considerado o principal candidato nem que seja pelo facto de ter ganho o campeonato a temporada passada.

Quanto ao Benfica entra com grande motivação nesta temporada. Fez uma boa pré-época, com exibições interessantes e vitórias em vários torneios. Realço o facto de Jorge Jesus ter o mérito de recuperar Cardozo, que a temporada passada devido a Quique Flores passou jogos no banco. Di María é outro caso, nesta pré-época tem feito boas exibições, tendo um rendimento bem diferente daquele que tem apresentado.

O Sporting penso ser aquele que dos favoritos é o menos favorito ao título. Esta temporada até ao momento fez poucas mudanças. Pelos vistos o Sporting recuperou Miguel Veloso. Depois de uma época passada atribulada, Miguel Veloso apareceu em bom plano nos jogos contra o Twente. Liedson continua a ser a referência desta equipa. Até ao momento ainda não se viu muito de Liedson. Um dos reforços desta temporada Matias Fernandez parece-me um jogador com pormenores interessantes, ainda a se adaptar, mas que pode ser uma referência neste Sporting. Caicedo foi o outro reforço deste Sporting, ainda não se viu muito, mas no jogo contra o Twente foi um jogador que mexeu no jogo.

Passando para a jornada em si até ao momento tem sido uma jornada de empatas. Além disso houve muito poucos golos até ao momento. Foram marcados 9 golos nesta jornada, uma autêntica miséria. Sendo assim esta 1ª jornada demonstra que as equipas ainda estão mal. No seu geral esta jornada foi muito fraca. Este não é um bom indicativo para começo do campeonato.

O Braga consegue uma vitória, tornando-se o líder do campeonato, o que apaga um pouco a má imagem que deixaram nas competições europeias. Já no que diz respeito aos candidatos ao título começaram mal. Tanto Sporting, Porto e Benfica empataram. O Sporting volta a dar uma pálida imagem. O seu adversário era difícil, mas o Sporting não mostrou argumentos para fazer melhor daquilo que tinha feito na Europa. De 3 jogos disputados até ao momento o Sporting marcou através de auto-golos. Este empate acaba por ser do mal o menos. É certo que Sporting não está no seu melhor momento. Consegue este empate jogando fora e frente a um adversário que fez uma boa temporada a época passada.

O Porto empatou com o Paços de Ferreira. Não é um bom começo. No jogo da Supertaça não achei o Porto muito superior ao Paços de Ferreira. Nesse jogo a diferença foi feita através de pormenores. Este Porto parece-me adormecido neste início de temporada.

Após a boa pré-época que o Benfica fez este resultado deixa algo a desejar. É verdade também que tanto Sporting como o Porto não fizeram melhor. O Benfica sabia que podia neste jogo começar a ganhar vantagem tanto sobre ambos. O Benfica teve oportunidades suficiente para poder vencer o jogo. Não as aproveitou. É neste tipo de jogos que por vezes se começam a decidir os campeonatos. Acho que o Benfica acabou por neste jogo perder 2 pontos. Jorge Jesus veio falar num massacre que o Benfica aplicou na 2ª parte. No entanto isso não teve efeitos práticos. Era preferível não ter aplicado um massacre e ter conquistado a vitória do que o contrário. É evidente se se puder jogar bem e vencer é a situação ideal. Não foi este o caso do Benfica. De modo que há poucas razões para o Benfica ficar satisfeito com este resultado.

No campeonato conta a regularidade das equipas e da sua capacidade de quando estão mal/bem serem capazes de mesmo assim vencer. É nestes aspectos do jogo que se fazem as diferenças entre uma equipa que acaba por vencer o campeonato e daquelas que não o conseguem.

Vi o jogo da Supertaça Inglesa entre Chelsea e Manchester United. Apesar da derrota do Manchester este reagiu bem à perda de Ronaldo. Podia ter ganho a Supertaça.Foi um bom jogo tendo em conta a altura da época em que nos encontramos. Foi bem disputado, com ambas as equipas a quererem ganhar o jogo. Foram em busca de marcar golos. Por vezes, se calhar na maior parte das vezes nós por cá vimos precisamente o contrário. No jogo da Supertaça entre o Porto e o Paços de Ferreira vi duas equipas que não foram em busca do golo. Passaram demasiado tempo a se estudarem e esperando que algo acontecesse. Isto marca a diferença num futebol que se torna atractivo e num futebol que deixa algo a desejar. É verdade que os jogadores têm valias diferentes. No entanto não acho que esteja aí o problema antes na mentalidade com que se entra nos jogos.

Disputaram-se também os jogos da selecção. A selecção de sub-21 venceu a Irlanda do Norte. Foi um jogo em que Portugal dominou. Neste jogo Portugal falhou muitas oportunidades de golos. Fábio Coentrão fez um grande jogo. Esta exibição veio confirmar a boa pré-temporada que fez no Benfica. Será interessante ver que utilização irá ter no Benfica esta temporada depois de andar emprestado.

Passando para a selecção principal não sou de momento dos que apoiam Carlos Queiroz. A fase de qualificação tem sido fraca. Este amigável contra o Liechtenstein acho que não foi o melhor ensaio para a selecção. É uma equipa demasiado fraca para as dificuldades que os próximos jogos da selecção teoricamente vão trazer.
O jogo em si trouxe uma vitória esperada da selecção. O começo foi demolidor. A vitória em si é importante. O adversário tem características de se fechar muito o que traz dificuldades. No entanto não havia selecções com características semelhantes mas com outro tipo de valia, que pudessem por outro tipo de dificuldades? Tenho as minhas dúvidas que as selecções que Portugal vai enfrentar no que resta da fase de qualificação façam a mesma oposição que o Liechtenstein apresentou (ou não). Esta vitória pode trazer motivação a esta selecção. Pode também transmitir um efeito enganador. Esta vitória não quer dizer que a selecção esteja a jogar melhor. Quanto muito que neste jogo foi mais eficaz. É impressão minha ou pouco se ligou a este jogo particular da selecção?

Esta semana há competições europeias. Dos jogos que as equipas portuguesas vão disputar diz a teoria que o Benfica tem a vida quase facilitada. O Sporting como já tinha escrito vai ter que melhorar muito se quiser disputar esta eliminatória. A verdade é que no jogo contra o Nacional o Sporting voltou a mostrar o seu mau momento. Por pouco e através de um auto-golo acabou por chegar ao empate. Não se pede que o Sporting faça um grande jogo, mas também não vai ser com as exibições que tem feito que vai disputar uma eliminatória contra a Fiorentina. Continuo a dizer que o Sporting não parte como favorito à passagem. No entanto tem argumentos para poder discutir a eliminatória. Quanto ao Nacional não tem tarefa fácil frente ao Zenit.

Etiquetas:

Ruben & Mestres do Futebol 2009. Proibida a reprodução.
# 20:50 | # este post | # Comentários de mestre (2)
segunda-feira, 17 de agosto de 2009
As estórias do nosso futebol…

O futebol português é rico em estórias. Por vezes belas, por vezes tristes. Recentemente, por exemplo, tivemos o livro lançado por Fernando Mendes, que desvendou alguns dos segredos dos balneários onde também entraram algumas acusações a clubes. Hoje, surgiu mais uma pequena estória: Adriano, do FC Porto, foi espancado. Surpresa? Talvez não…

O lado negro do nosso futebol é conhecido por muitos. O futebol português vai muito para além das quatro linhas. Há até quem diga que existem pessoas da máfia disfarçadas de dirigentes desportivos. E este tipo de raciocínio até nem é muito complicado de se fazer dado as pequenas coisas que vão aparecendo diariamente em torno deste, digamos, fenómeno (filmes, livros, depoimentos vários etc.)

Vejamos o exemplo mais recente: hoje foi noticiado que Adriano, ponta-de-lança do FC Porto há muito afastado dos planos de Jesualdo Ferreira, foi espancado à saída de uma discoteca, em Vila do Conde. Para muitos adeptos do futebol, e não só, este caso pode ter sido apenas um pequeno assalto, sem qualquer razão valiosa aparente. Os mais atentos, porém, não se esquecerão que há semanas atrás o mesmo Adriano disse «quando decidir falar saiam da frente», prometendo com isto fazer declarações bombásticas. O resultado foi o que se viu. Coincidências? Não creio…

O caso de Adriano foi tornado público mas sabe-se que não foi o único a ser despachado de uma forma pouco correcta. Paulo Assunção, por exemplo, também disse que foi ameaçado. Marek Cech, alguém sabe como saiu do Porto? Nem sequer perguntaram ao jogador se ele queria mesmo sair do clube. Ele não queria, mas a verdade é que saiu.

Ameaças, corrupção, tudo estórias do nosso futebol…

Etiquetas: , ,

Pedro Magalhães & Mestres do Futebol 2009. Proibida a reprodução.
# 18:12 | # este post | # Comentários de mestre (3)
Benfica escorrega na Madeira
Empate a um golo num jogo onde o Benfica dominou por completo a um Marítimo que limitava-se a defender...

Notas Mestres do Futebol:

Melhor em campo: Peçanha (nota 5) - Defendeu um penalti e quase todos os lances de grande perigo por parte do Benfica, só não conseguiu parar Weldon no cabeceamento que garantiu o empate, mesmo assim merece nota máxima...

Melhor do Benfica: Weldon (nota 4)- Num jogo onde a sorte não teve do lado dos encarnados e em que o super Peçanha parecia imbatível entrou e colocou a bola no fundo da baliza. Mostrou que merece um lugar na equipa!

Jorge Jesus: (nota 4) - De facto o sistema 4-4-2 Losango beneficiou este Benfica que fez uma exibição de grande qualidade perante um Marítimo que limitou-se a defender.

Carlos Carvalhal: (nota 3.5) - Apesar de limitar-se a defender conseguiu anular bem um Benfica poderoso tacticamente.

Artur Soares Dias: (nota 2) - Um penalti por assinalar que poderia ser decisivo. Pausou muito o jogo, nem todas as decisões foram as mais correctas apesar de fazer algumas intrevencções oportunas.

O jogo começou com o Benfica mais possessivo, o Marítimo ia anulando algumas das opurtunidades da equipa lisboeta, e fazia umas breves aparições no meio campo contrário.
Com a lesão de Carlos Martins entrou Fabio Coentrão, que fez uma boa exibição durante o jogo. Destaque para as opurtunidades criadas durante o jogo de dois jovens prometedores do Benfica (Di Maria e Coentrão) que deram um bom ânimo ao jogo.

Quanto a esta equipa do Marítimo, apostou muito na defesa construindo uma "teia pressionante" esperando pelo adversário para partir no contra-ataque. Apesar de não fazer grandes jogadas ofensivas, nota positiva para a defesa benfiquista que esteve muito bem na anulação dos poucos lances que houveram, os jogadores do Maritimo conseguiram chegar a vantagem na conversão de um penalti através Alonso após uma paradinha...

Estava feito o primeiro do jogo...

Quanto há segunda parte partiu sem substituições com o Benfica em desvantagem. O Benfica passou grande parte do jogo no meio-campo do adversário com a bola a circular por esta zona durante grande parte da partida, e donde surgiram jogadas de grande qualidade, apesar de sem sucesso devido ao Super Peçanha que fez uma grande exibição.

Cardozo teve também oportunidade de empatar após um penalti devido a uma falta a Saviola, porém sem sucesso, culpa de Peçanha que defendeu mais uma...

Teve que entrar Weldon para bater o guarda redes. A 4 minutos do final, dos pés de Coentrão saiu o cruzamento milimétrico para cabeça de Weldon que deu o resultado final do jogo.

Ainda antes do final da partida o arbitro não assinalou um penalti após a bola bater no braço de Briguel, que terá evitado a progressão da bola.

Fica assim terminado o Benfica-Marítimo para a 1ª Jornada.

Agora é altura de recuperar forças e preparar para os próximos jogos...

Etiquetas: , ,

Hélder & Mestres do Futebol 2009. Proibida a reprodução.
# 15:10 | # este post | # Comentários de mestre (0)
Campeão arranca mal
Um Falcão valeu por onze ‘castores’ – símbolo do Paços de Ferreira – e assim o FC Porto obteve um empate (1-1) que acaba por até ser algo lisonjeiro para o que os tetracampeões fizeram. O Paços foi mais equipa na tarde de ontem, perante um campeão nacional a viver de fogachos das individualidades e com alguns tiques de vedetismo das principais figuras, caso de Hulk, que até acabou expulso.


O Paços de Ferreira marcou cedo, num auto-golo de Fucile e o FC Porto ficou desorientado. Excepção a Belluschi, que pôs alguma arte no jogo, os dragões nunca mostraram inspiração nem soluções para contrariar a maior frescura física dos pacenses. O reforço argentino esteve nos dois melhores e mais perigosos lances dos dragões, com um remate à trave e outro que permitiu grande defesa a Cássio, que ontem não brincou com o fogo, como tinha feito há uma semana, ao tentar fintar Farías.

Os pacenses, muito bem organizados a meio-campo e com o quebra-cabeças Cristiano a trocar as voltas aos laterais portistas, podia mesmo ter aumentado a diferença e teve o pássaro na mão, sobretudo quando Hulk foi expulso. Mas com a entrada de Falcão, o FC Porto ainda encontrou forças e asas para chegar ao empate, num grande voo do colombiano a cruzamento perfeito de Fucile, que assim se redimiu de uma tarde de equívocos e de um auto-golo. O dragão de ontem esteve em curto-circuito.

Etiquetas: , ,

Diogo Sousa & Mestres do Futebol 2009. Proibida a reprodução.
# 15:00 | # este post | # Comentários de mestre (0)
domingo, 16 de agosto de 2009
Sporting arranca mal...

O Sporting não foi além do empate a uma bola com o Nacional, na Choupana. João Aurélio foi a figura do jogo pois não só marcou o golo do Nacional (26m) como também o do Sporting (75m)...

Notas Mestres do Futebol:

Melhor em campo: Leandro Salino (nota 4) - Foi determinante na estratégia de Machado. Roubou bolas que se fartou...

Melhor do Sporting: Matías Fernandez(nota 3.5) - Mesmo sem ser excelente é claramente um jogador acima da média neste Sporting. Estar no banco 67 minutos é muito tempo...

Manuel Machado: (nota 4) - a sua estratégia de 3x5x2 deu frutos, tal como na temporada passada. Prevê-se um Nacional forte...

Paulo Bento: (nota 1) - o futebol pastoso do Sporting continua e colocar Matias Fernandez no banco é um tiro no próprio pé.

Pedro Proença: (nota 5) - nem se deu por ele...


O Sporting continua sem convencer neste início de temporada. Um futebol demasiado previsível e que não contou, com grande supresa, com Matigol a titular, um jogador com muito talento e que cabe de caras no onze leonino. A sua entrada, apenas aos 67m, foi uma das grandes razões do empate do Sporting.

O encontro, com um Nacional muito parecido com o da temporada passada, começou com os da casa a jogar no erro. Foi assim que, através de um canto no lado esquerdo, João Aurélio aproveitou as facilidades da defesa leonina para abrir o marcador. Até final da primeira parte, o Sporting nada fez para reagir e as equipas saíam para intervalo com o resultado favorável aos madeirenses.

No reatamento da partida, Paulo Bento promoveu duas alterações: entraram Vuckcevic e Pereirinha para as saídas de Rochemback e Abel. O futebol do Sporting melhorou substancialmente a nível ofensivo, mas seria mesmo com a entrada de Matías Fernandez que as coisas viriam a mudar.

O Nacional não se limitava a defender e a figura do jogo, João Aurélio, teve aos 54 minutos uma chance muito boa para resolver o jogo mas, isolado perante Rui Patrício, permitiu o corte em cima da linha de Carriço. O Sporting tentou responder por Liedson num canto mas Bracalli mostrou-se atento.

Seria mesmo um jogador do Nacional a fazer aquilo que os jogadores do Sporting, em 75 minutos, não conseguiram: o golo. João Aurélio (nunca esquecerá este jogo), depois de um canto da direita, interceptou mal a bola e acabou por colocá-la dentro da própria baliza.

Até final, o Sporting foi quem mais procurou o golo e tanto Yannick, Matias e Postiga podiam ter dado a vitória aos leões mas a bola acabou por não entrar. O Sporting, para além de não ter feito um único golo em jogos oficiais com um jogador seu, ainda não conquistou qualquer vitória. Para terça-feira, Paulo Bento terá de apresentar uma equipa bastante melhor para fazer frente à Fiorentina...

Resumo:



fotos: abola.pt

Etiquetas: , ,

Pedro Magalhães & Mestres do Futebol 2009. Proibida a reprodução.
# 01:56 | # este post | # Comentários de mestre (0)
Braga conquista primeira vitória da época frente à Académica (1-0)

Etiquetas: , ,

Pedro Magalhães & Mestres do Futebol 2009. Proibida a reprodução.
# 01:52 | # este post | # Comentários de mestre (0)
sábado, 15 de agosto de 2009
Bola em Jogo: Onde é que isto já vai!

Onde é que isto já vai! Começo assim porque estou um pouco indignado como vai, em parte, o futebol português. Digo isto pelo facto, actualmente, olhar para os plantéis dos vários clubes de Portugal e vejo só nomes estrangeiros, facto que me intriga, onde estão os jogadores portugueses? Já passou o tempo onde os grandes nomes como Humberto Coelho ou Rui Águas preenchia as capas dos jornais, e verifica-se que cada vez mais as equipas portuguesas estão a ficar estrangeiras....

Podem dar o exemplo do Barcelona, do Inter de Milão, eu entendo que possam pensar que grandes clubes não possam ser inteiramente nacionais, também penso que isso não devia de acontecer, mas mais do que nunca não nos podemos levar pelos outros, lá porque esses grandes clubes contratam vedetas dos outros países nós também não temos de fazer o mesmo, temos de nos superar a nós próprios e a minha sugestão, apostar nos jovens portugueses e não em jovens brasileiros (como tem acontecido).

Vou referir o caso do Patric, jogador jovem brasileiro, com grande futuro, contratado recentemente pelo Benfica porém não tem tido sucesso no nosso estilo de futebol e isto porque simplesmente não foi ensinado para este estilo...Olhemos para os futuro dos jovens, para o futuro da selecção, jovens formados em Portugal é um trunfo na Europa, além de trazer mais dinheiro para o país, Portugal não fica visto apenas pelo país pequeno...

Esta aposta tem de partir dos clubes que devem investir mais na formação, e da Federação que deve dar incentivos maiores e criar mais regras entre os clubes de forma a que sejam "obrigados" a apostar nos portugueses. Trará com certeza mais qualidade ao futebol nacional.

É um pensamento a reflectir e mais do que tudo defendo que "o que é português é bom!", mas opiniões são opiniões e estou disposto a ouvir comentários...

Etiquetas:

Hélder & Mestres do Futebol 2009. Proibida a reprodução.
# 21:47 | # este post | # Comentários de mestre (0)
Premier League - Futebol Internacional

Sendo que Mark Hughes gastou em 4 temporadas £24m de libras no total aquando da sua passagem pelo Blackburn Rovers que enfrenta hoje na primeira partida oficial da temporada, acaba por ter nos pés do seu recentemente contratado avançado togolês, Emmanuel Adebayor, por £25m a diferença de nível orçamental e técnico. E o retorno de investimento começa a surgir após 90 segundos e a rede já aquece com o primeiro golo da temporada para ADE.

Blackburn Rovers apresentando um 4-3-3 pelas mãos de “Big” Sam Allardyce – Paul Robinson, Jacobsen, Warnock, Samba, Givet, Roberts, McCarthy, Pedersen, Nzonzi, Andrews e Diouf com presença nos suplentes de Grella, Khizanishvili, Gallagher, Olsson, Hoilett, Di Santo e Brown.

Mark Hugues colocou no Ewood Park um Manchester City constituído por Shay Given; Micah Richards, Wayne Bridge, Dunne, Toure; Stephen Ireland, Wright-Phillips, Robinho, Barry e Adebayor e Bellamy num convencional 4-4-2 com alterações ofensivas para um 4-2-4 com a metamorfose através de Ireland no núcleo central e as deambulações para o meio de Robinho.

Suplentes por parte do City são Onuhoa, Zabaleta, Taylor, Petrov, Tevez, de Jong e Weiss.

Aos 91 Minutos foi a vez de Stephan Ireland, na mencionada alteração táctica ofensiva que selou o resultado final num 0-2 com uma técnica aprimorada desmarcou-se, enfrentou o guardião Robinson, sentou-o, voltando para trás e colocando a bola na gaveta. Golo especial do jogador da época 2008/09 do City.

Um jogo que foi uma batalha constante e muito jogado a meio campo de parte a parte e que primou quem foi objectivo na finalização sendo que os números acabam por falar por si. 1ª parte o City rematou 2 vezes marcou 1 golo ao invés do Rovers que efectuou 7 remates e a baliza não foi visada. Na segunda parte o City efectuou 5 remates à baliza e o Rovers disparou 8 direccionadas à baliza do adversário, porém o resultado pendeu para os homens de Manchester. 0-2 – Adebayor e Ireland ( 3’ e 91’ ) na lista de marcadores.

Homem do Jogo - Adebayor

A Premier League iniciou-se com a vitória caseira do Chelsea arrancada à ferros frente ao Hull City 2-1 com 2 golos de Didier Drogba.

As restantes partidas obtiveram os seguintes resultados:

Aston Villa 0-2 Wigan – Rodallega; Koumas
Bolton 0-1 Sunderland – Darren Bent
Portsmouth 0-1 Fulham - Zamora
Stoke City 2-0 Burnley – Shawcross; Jordan (pb)
Wolverhampton 0-2 West Ham – Noble; Upson
Everton 1-6 Arsenal – Saha; Fabregas 2, Eduardo, Gallas, Vermaelen, Denilson

Entretanto noutras partidas do dia o Bayern Munique empatou 1-1 frente ao Werder Bremer de Hugo Almeida com a particularidade do Ribery ter começado a partida no banco, potencialmente, face à propensão de transferência que ainda suscita o seu passe no mercado de transferências ainda em aberto. Golos de Mesut Ozil, para o Bremen( que comentamos o seu potencial no europeu de sub-21 em que foi o melhor do torneio ) e que acaba por ser esta a sua época de afirmação com a departure de Diego para a Juventus. Para os lados de Munique foi a aquisição Gomez que deu o empate à equipa da casa.


Paulo Sousa voltou a somar nova derrota pelo Swansea e já é último da tabela classificativa após perder fora na ronda inaugural com o Leicester por 2-1, agora saiu derrotado frente ao Middlesbrough por 0-3 na segunda jornada. De mencionar que durante a semana para a taça P. Sousa venceu por 3-0 o Brighton.
Quem continua em alta pelos relvados em Inglaterra é a equipa de Sven Goran Eriksson, o Notts County da League 2 que atrai jogadores da Premier League ( como o ex- Manchester City Schmeichel ) e vai avassalando os adversários. 5-0 frente ao Bradford na 1ª jornada e agora 0-4 ao Macclesfield.


Outras notícias revelam a agitação constante do mercado de transferências:

( At. Madrid ) Sergio Aguero €47m -> Chelsea ?
( Roma ) Jeremy Menez -> Internazionale ¿
(Real Madrid) Sneijder -> Internazionale ¿
( Arsenal ) Fabregas -> Barcelona/Milan ¿
( Newcastle ) Bassong – Tottenham
( Benfica ) Luisão – Fiorentina ¿
( Lazio ) Stendardo – Espanhol ?
( Bayern M. ) Luca Toni – Monaco/West Ham ?
( Real Madrid ) Alvaro Negredo – Hull City ?
( Juventus )Ranieri – Zenit ?
( Fiorentina ) Mutu – Zenit ¿
( Juventus ) Grygera – Barcelona ¿
( Lyon ) Mensah – Sunderland ¿
( Rayo Vallecano ) Antonio Amaya – Wigan
( Middlesbrough ) Tuncay – Aston Villa/West Ham/Liverpool ¿
( Middlesbrough ) Afonso Alves – Qatar ?
( Arsenal ) Eboue – Barcelona ?
( Barcelona ) Gudjohnsen -West Ham ?

Etiquetas: , , , , , , ,

Nelson Motta & Mestres do Futebol 2009. Proibida a reprodução.
# 17:08 | # este post | # Comentários de mestre (0)
sexta-feira, 14 de agosto de 2009
As voltas da bola: O monopólio, o futebol e Liedson


O campeonato português está absolutamente monopolizado no que toca aos direitos de transmissões televisivos. Já não existem aquelas tardes de domingo exclusivas para o futebol. Actualmente, os oito jogos da jornada são distribuídos por quatro dias: sexta, sábado, domingo e segunda. Quase todos em horários diferentes, passados em directo na televisão. Vejamos: nesta primeira ronda, não há dois jogos que coincidam. É claro que os clubes precisam das receitas que daí advêm mas, por exemplo e sem qualquer tipo de desrespeito para com os clubes, um Belenenses-Paços de Ferreira é um jogo que deve ser jogado à luz do dia e não num dia de semana à noite.

Os adeptos perdem a oportunidade de ver futebol pois têm trabalho no dia seguinte e os clubes perdem público. Resultado: bancadas vazias. Não é este o panorama do nosso futebol? Parece-me incompreensível que a Liga Vitalis, segunda competição profissional em Portugal, comece numa quinta-feira à noite. É, para mim, difícil de perceber o porquê de não fazer o jogo no domingo à tarde ou até de manhã, tal como acontecia na temporada passada com uma partida em directo na televisão. Jogar a meio da semana não tem sentido, ainda para mais quando existem pausas prolongadas no Natal e na Páscoa que quebram o ritmo da competição - algo que tem sido melhorado, justiça seja feita.

Posto isto, vamos a outro tema da ordem do dia: a naturalização de Liedson e, principalmente, a legitimidade na sua chamada à Selecção nacional. Pessoalmente, não vejo qualquer entrave nisso pois trata-se de um caso em que ambos pretendem a mesma coisa: o jogador quer representar Portugal e a nossa Selecção há muito precisa de um digno sucessor de Pauleta, algo que Hugo Almeida e Nuno Gomes, por exemplo, não têm conseguido ser. Haverá certamente quem não esteja de acordo com esta minha opinião. Todavia, se Deco e Pepe são chamados por que razão agora seria diferente? O precedente está aberto, nada há a apontar agora.

Voltando ao tema inicial porque hoje, sexta-feira, se iniciou a Liga Sagres com um jogo entre Belenenses e Leixões, empatado sem golos. No sábado, o Sporting terá um jogo complicado na Choupana, frente ao Nacional (quarto classificado da temporada anterior). Domingo, o FC Porto desloca-se a Paços de Ferreira reeditando o jogo da Supertaça Cândido de Oliveira que terminou com uma vitória justa dos portistas mesmo que o Paços se tenha mostrado um osso bem duro de roer; logo após, o Benfica entra em campo para defrontar o Marítimo, partida onde não poderá contar com os reforços Ramires e César Peixoto. São as primeiras rotações do novo campeonato.

Etiquetas:

Ricardo Costa & Mestres do Futebol 2009. Proibida a reprodução.
# 22:31 | # este post | # Comentários de mestre (0)
quinta-feira, 13 de agosto de 2009
A verdade nua e crua do Sporting?

Na passada Segunda feira ouvimos o presidente do Sporting, José Eduardo Bettencourt, dizer que considerava o Benfica e o Porto os candidatos ao titulo.
As questões que me coloquei de imediato foram: “Afinal que acha ele do Sporting? Que objectivo tem ele para o Sporting?”

Não é deste mandado que vemos um Sporting que se contenta com pouco. Segundos lugares sucessivos, fracas contratações, humilhações na Europa, etc.
A desculpa mais ouvida da direcção para os sucessivos “falhanços” do Sporting deve-se á contenção financeira. Ainda nesta época, como é possível falar de que não existe dinheiro para contratações quando o Sporting recebe 4 milhões sobre direitos do pass de Cristiano Ronaldo e gaste os mesmos 4 milhões em Matias Fernandez?
A pergunta surge: o que se faz ao dinheiro dos sponsor’s, sócios, direitos televisivos, prémios?
Alguém anda a meter algum no bolso? Estará o Sporting a fazer um “pé de meia” para comprar um futuro Cristiano Ronaldo por uns 150 milhões?

São perguntas que não vemos os Sportinguistas fazerem e que continuam a achar que tudo vai bem no “Paulo Bento no país das Maravilhas”. Sempre ouvi dizer que o ser-humano era um ser insatisfeito por natureza, mas pergunto: serão o sócios e simpatizantes do Sporting uns seres diferentes? Perante um presidente que coloca o Sporting fora da órbita do titulo ninguém é capaz de contestar?

Dentro do campo vê-se um Sporting apático, sem ritmo, sem valor mas com muito coração, o que vai salvando.
A desculpa para isto dos adeptos tem sido “Com quantos da Academia começamos o jogo?”. A aposta da Academia vem muito antes de Paulo Bento. Lembram-se daquela altura em que o Sporting ganhava títulos? Vinha desde aí…

Sou novo mas ainda me lembro de um Sporting bem melhor que este que temos visto….

Etiquetas:

Diogo Sousa & Mestres do Futebol 2009. Proibida a reprodução.
# 12:25 | # este post | # Comentários de mestre (4)
Portugal vence o treino
NOTAS MESTRES DO FUTEBOL:

Melhor em campo: Hugo Almeida
Carlos Queirós: nota 4
Hans-Peter Zaugg: nota 3+
Árbitro: Carlo Bertolini ( Suíça ): nota 4-

Portugal e Liechnstein defrontaram-se numa partida que servia para afinações nas duas selecções. Num jogo particular onde a ausência de Cristiano Ronaldo é a maior nota de destaque na selecção portuguesa. O capitão de equipa não se concentrou com a selecção devido a uma gripe, que o atacou quando estava em digressão com o Real Madrid, nos Estados Unidos.

Carlos Queirós manteve os mesmos jogadores no onze (com excepção de Cristiano Ronaldo), mas mexeu no esquema táctico.
Portugal abandonou o já velhinho 4-3-3 e apresentou-se num 4-4-2 da moda, em losango. Simão ocupou uma posição que deverá pertencer a Ronaldo, na frente de ataque com Hugo Almeida ou possivelmente Liedson.

Durante os noventa minutos o jogo foi de sentido único, rumo á baliza do Liechnstein. Desde cedo Portugal entrou a todo gás com Hugo Almeida a desperdiçar uma boa oportunidade.
Ao minuto 15’ surge o primeiro golo do encontro, através do ponta de lança Português Hugo Almeida: Deco mete para Simão, á entrada da área. O camisola 11 (Simão), estava entre vários defesas, a bola, no ressalto, sobra para o ponta-de-lança que, de pé esquerdo atira forte para o fundo das redes de Jehle.

Portugal não perdeu o norte e logo na jogada seguinte, ao minuto 23’ Raul Meireles após uma boa troca de bola remata sem oposição. O sistema em losango posibilita á equipa estar mais junta o que com este se notou bem e ajudou ao bom golo de Raul Meireles.
Com Portugal instalado no meio campo adversário as coisas foram correndo melhores e ao minuto 26 Hugo Almeida faz o terceiro golo para Portugal e o segundo na conta pessoal.

Terminava uma primeira parte com Portugal em cima do Liechnstein. Uma primeira parte onde Queirós testou um novo sistema táctico, muito a pensar em Liedson. Viu um Simão Sabrosa bastante activo estando presente em todos os lances de golo, viu um Hugo Almeida aproveitador, um Tiago em boa forma e um Deco que pode dar mais do que deu.

Na segunda parte a equipa abrandou o ritmo. Os golos tinham acabado. O seleccionador trocou muitos jogadores, devido a lesões e mudou o esquema de losango para o tradicional 4-3-3. A nível de lances de golo nada a registar.

Portugal teve um bom teste contra este Liechnstein, mas vem aí a Dinamarca e a Hungria e é já a doer...

Etiquetas: , , ,

Diogo Sousa & Mestres do Futebol 2009. Proibida a reprodução.
# 12:17 | # este post | # Comentários de mestre (0)
quarta-feira, 12 de agosto de 2009
Jogos Internacionais - Road to South Africa 2010

Uma Inglaterra (7º Ranking Fifa) 8 & 80 foi arrancar um empate à Holanda(3º Ranking FIFA) 2-2 com golos de Defoe 2 e por parte dos homens de laranja Kuyt e Van der Vaart.

Um primeiro tempo infantil por parte da selecção britânica com erros imperdoáveis, que relembram a bola que Bruno Alves ofereceu e eliminou o Porto da Liga dos Campeões, fez com que a Inglaterra estivesse em desvantagem com culpas para Ferdinand e Barry que parecerem apáticos na reacção às jogadas e com passes para a zona central no seu último terço fez com que os holandeses espremessem o sumo de sua laranja mecânica.

Os 3 Lions somente conseguiram assustar Stekelenburg com um livre de Beckham e com remates perigosos de Rooney e Lampard, porém definitivamente o jogo pertenceu mais à Holanda com jogadas mais consistentes sendo que Capello indicou que prendou os laranjas mecânicas por ser pré-época e que pouco comunicou ao intervalo para alterar o rumo do jogo.

Inglaterra modificou-se na segunda parte e na ausência de Gerrard difícil de colmatar, Capello tentou encontrar uma solução mais segura e posicionou um sistema diferente do 4-4-2 convencional para atacar mais e apesar de muitas trocas por troca, foi na mobilidade de Defoe e Milner que os ingleses alteraram o seu jogo colocando um misto de contra-ataque e ataque fluído no tabuleiro de Amesterdão.

Holanda apresentou Stekelenburg; Heitinga, Ooijer, Mathijsen, Braafheid; de Jong, Van Persie, Schaars, Kuyt, Van der Vaart e Robben, jogando ainda Afellay, Huntelaar, David Mendes, Babel e Sneijder ( homem desejado por Mourinho ).

Inglaterra jogou com Green; Glen Johnson, Cole, Terry, Ferdinand; Barry, Beckham, Lampard, Ashley Young; Heskey e Rooney, e na segunda parte Capello colocou Phillips, Carrick, Defoe, Carlton Cole, Milner e Wayne Bridge.

Esta noite vários relvados foram palco de jogos entre selecções sendo que colocamos, inicialmente, as partidas de qualificação para depois colocar alguns dos jogos importantes relativamente a particulares.

Assim, a Alemanha foi vencer por 0-2 o Azerbaijão e colocou-se mais perto da qualificação no grupo 4 sendo que ocupa o topo da tabela com 19 pontos seguidos da Rússia com 15 (-1 jogo); no grupo 6 a Croácia venceu a Bielorrússia por 1-3 e ascendeu ao 2º posto com 14 pontos justamente atrás da Inglaterra que tem 21 pontos e à frente de Ucrânia que tem 11 pontos ( -1 jogo ); França no grupo 7 venceu de forma inglória as Ilhas Faroe por 0-1 e com menos um jogo contabiliza 13 pontos atrás da 1ª classificada Sérvia que tem 18 pontos. No grupo 9 em que a Holanda já se qualificou para o Mundial resta a luta pelo Play-off e esta noite a Escócia viu o sonho a escapar pelas suas mãos ao sair derrotada por 4-0 frente à Noruega. O segundo posto está ao alcance das restantes 4 nações sendo que vemos Macedónia e Escócia com 7 pontos seguidas por Noruega com 6 pontos e Islândia com 4 pontos.

O jogo mais emocionante da noite poderá mesmo ter sido Macedónia 2-3 Espanha em que la Roja virou a partida em 4 minutos quando saiu do intervalo a perder por 2-0 com Torres, Piqué e Riera a determinarem o placard final aos 51’,54’ e 55’minutos após o bisar do avançado da Lázio, Goran Pandev.

Outros Jogos:

Rússia 2-3 Argentina; ( com Lisandro a marcar e Bolatti na equipa titular )

África do Sul 1-3 Sérvia;

Estónia 0-1 Brasil;

Albânia 6-1 Chipre;

Suécia 1-0 Finlândia;

Egipto 3-3 Guiné;

Ucrânia 0-3 Turquia;

Dinamarca 1-2 Chile;

Irlanda 0-2 Austrália;

Liechtenstein 0-3 Portugal;

Suíça 0-0 Itália;


Noutras notícias, AC Milan adquiriu os serviços Flavio Roma ao Monaco e libertou Kalac. O Barcelona ainda no mercado efectuou uma oferta ao jogador do Man City, Vincent Kompany; Zanetti junta-se à Fiorentina; Após a potencial aquisição do Benfica, é agora o Sporting que tenta ganhar o concurso do high-rated brasileiro Daniel Carvalho; Enquanto Bayern tenta comprar Bosingwa, Ribery continua a experienciar as ofertas de Man Utd, Chelsea, Real Madrid, Barcelona e Internazionale; Alvaro Negredo aproxima-se da Premier League, Hull City; 45€ é o valor mínimo que o Barcelona terá de engordar os cofres do Arsenal para trazer o playmaker Cesc Fabregas para a Catalunha; Gourcuff ex-Milan e actualmente no Bordeaux é pretendido por Mourinho no Internazionale que tenta a todo o custo no mercado disponível um número 10; David Moyes ou Jose Mourinho - Qual será o próximo treinador do United?
Eduardo Salvio do Lanus perto da Fiorentina; Gudjohnsen e Luca Toni serão os últimos alvos do West Ham United de Zola para a nova campanha da Premier League; Michel Salgado tentado pelo Blackburn Rovers e Adriano entre Roma e Milan; Eriksson e o reinado de Notts County na League 2; Daniel Pacheco vindo das escolas do Barcelona e limado em Anfield assina o seu contrato profissional pelo Liverpool; Bentley & Jenas perto do Aston Villa provenientes dos Spurs; Obafemi Martins sai de Newcastle para Wolfsburgo; Nedved tentado por Major League Soccer, porém Inter, Juventus, Roma, Lazio e Parma também desejam o experiente checo;
ss

Etiquetas: , , , , ,

Nelson Motta & Mestres do Futebol 2009. Proibida a reprodução.
# 21:44 | # este post | # Comentários de mestre (0)

Copyright Mestres do Futebol. Todos os Direitos reservados.
Optimizado para Mozilla Firefox 3.5.2